quarta-feira, 18 de outubro de 2017

TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ VI ]

«DOAÇÕES E TESTAMENTO»
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão -  (2016)  -  (Panorâmica do "RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO" ou "RECOLHIMENTO DE Nª. SENHORA DOS ANJOS" visto de outro ângulo)    in   GOOGLE EARTH 
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (2016)  -  (Entrada da "TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO", vendo-se a placa sem saída)  in  GOOGLE EARTH
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - entre 1890 e 1945 - Foto de José Artur Leitão Bárcia  -  (Arco do Recolhimento Lázaro Leitão na parte de Trás da Travessa)  (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in   AML 
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (1968) - Foto de Armando Maia Serôdio  -  (A "TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO", no lado esquerdo o  antigo Recolhimento e Igreja com a sua escadaria emblemática)   in   AML 
Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (1964-03) Foto de Arnaldo Madureira  -  (Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão, casas degradadas no lado direito)   in    AML 


(CONTINUAÇÃO)-TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ VI ]

«DOAÇÕES E TESTAMENTO»

«LÁZARO LEITÃO ARANHA» entes de falecer, fez várias "doações" à sua instituição, incluindo a doação de todo o edifício do mesmo RECOLHIMENTO; mais dois padrões de "JURO REAL" e as CASAS NOBRES  que possuía à CRUZ DE PAU (antiga freguesia de SANTA CATARINA) todos vinculados, e como património do mesmo recolhimento. Como procurador do Recolhimento nomeou "JOSÉ DA FONSECA PEREIRA", seu secretário há mais de 24 anos, com uma das casas pequenas próximas do Recolhimento, em vida. "D. JOANA INÁCIA" recebia habitação gratuita nas casas nobres imediatas ao mesmo recolhimento.
Segundo a instituição deveriam ser admitidas tantas viúvas quantas pudessem ser sustentadas pelas rendas do recolhimento, pelo que o fundador lhes deixou 8 contos de réis de Juros Real; "dote de uma sobrinha D. MARIA DE MACEDO E SILVA". Esta senhora, por sua vez, em testamento acrescentou um outro padrão de juro por sua morte. No TESTAMENTO de (28.07.1766), "LÁZARO LEITÃO" obrigava a 1400 missas por sua alma.
Depois da sua morte a 02 de Agosto de 1767 procedeu-se a Inventário Judicial.
a Padroeira, D. JOANA INÁCIA, e recolhida obtiveram um Alvará (12.01.1773) de D. JOSÉ para venderem bens da DOAÇÃO.  Quanto aos bens de raiz logo os aforaram, em especial, o "PALÁCIO DA CRUZ DE PAU" depois o "PALÁCIO SOBRAL" sendo os rendimentos diminutos em ( 1806 ) para poder sustentar a decência do culto divino e das recolhidas.
Em 1800 foram confirmados os alvarás de protecção REAL de 1747 e 1766.  Nesse ano, morrendo sem descendência, "ANTÓNIO RODRIGUES DE MACEDO LEITÃO ARANHA) (apelido imposto pelo vínculo), foi sepultado na IGREJA DO RECOLHIMENTO.
Por ter cessado a parentela do instituidor, começaram as complicações no recolhimento. O "Desembargo" coincide com o "Procurador da Coroa", dando-lhes provimento a 23.01.1801, pois não deviam continuar "historietas" desta natureza.
O zelo com que administravam o recolhimento. não foi suficiente às recolhidas, cuja situação, em 1822 era preocupante. Não recebiam, por circunstâncias do ESTADO, os JUROS REAIS; tinham vendido muitas alfaias e o que restava estava empenhado; o edifício encontrava-se arruinado, sem terem dinheiro para o consertar. E o novo padroeiro justificava a consternação das recolhidas que o recolhimento ameaçando ruína de poderem perigar as suas vidas. 
Em 1827 persistia a total ruína sem rendimentos para receber mais recolhidas. 

Embora como RECOLHIMENTO tenha existido até à década de 40 do século XX, e seu proprietário tinha falecido a 2 de Agosto de 1767 sem deixar descendentes. E as Recolhidas resolverem administrar a instituição, o que originou uma demanda judicial que teve como sentença: "a passagem do "MORGADO" para a "COROA" em 1802"


(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ VII ]-AINDA DO TESTAMENTO E NOVAS INSTITUIÇÕES SOCIAIS"

sábado, 14 de outubro de 2017

TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ V ]

«O TÚMULO DE LÁZARO LEITÃO E ARCO DA TRAVESSA PARA AS HORTAS»
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (1959) Foto de Fernando Martinez Pozal  -  ("Arco do Recolhimento Lázaro Leitão". Do ARCO podemos observar o "CONVENTO DE SANTOS-O-NOVO" e o local onde passaria a "AVENIDA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE")  (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in   AML 
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - ( 1966-05) Foto de João Hermes Cordeiro Goulart - Negativo de gelatina e prata em acetato de celulose)  -  (Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão com algumas casas degradadas, ao fundo à direita o "ARCO" que dava para as "HORTAS")   in   AML
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (1925) - Desenho de João Marques  -  (Túmulo de mármore do principal Lázaro Leitão Aranha, na Capela do Recolhimento. Desenho inserto na obra de "ARTUR LAMAS" -A CASA NOBRE DE LÁZARO LEITÃO", Representando o Busto no lado direito e Brasão de Armas no lado esquerdo, a caixa está assente  em cima de dois Leitões)   in   CAMINHO DO ORIENTE
Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (1998) Foto de António Sacchetti  -  (BUSTO de "LÁZARO LEITÃO ARANHA" que se encontra sobre o Túmulo no lado direito, situado na capela, hoje profanada)   in   CAMINHO DO ORIENTE


(CONTINUAÇÃO)- TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ V ]

"O TÚMULO DE LÁZARO LEITÃO E ARCO DA TRAVESSA PARA AS HORTAS"


"LÁZARO LEITÃO" mandara ele próprio em vida, construir o seu "SEPULCRO".
O TÚMULO de mármore do Principal "LÁZARO LEITÃO ARANHA" encontra-se na "CAPELA DO RECOLHIMENTO".
Situado à direita do ALTAR-MOR, na parede da esquerda ao fundo, num arco insólito, estando a CAIXA assente em dois leitões de mármore cinzento (numa evidente alusão ao seu apelido)  e com exuberantes inscrições em LATIM, que indicam a data da sua morte - 2 de Agosto de 1767 -  com 89 anos.  (Morreu no seu Palácio do CALHARIZ, onde hoje está instalada a CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS).
O "TÚMULO" está encimado lateralmente por um "busto de mármore" e um "alto Brasão de Armas".  Peças que em 1932 as "RECOLHIDAS" colocaram no Jardim da CASA, sobre um Plinto. Com efeito a ideia foi amável para a memória do PRINCIPAL DA SÉ PATRIARCAL.
Por sobre o TÚMULO pode ver-se ainda a grade que dava para o CORO DO RECOLHIMENTO. O TÚMULO do patrono e fundador do RECOLHIMENTO é a peça central que resta da Capela, hoje profanada. O desenho do TÚMULO é da autoria  de "JOÃO MARQUES", tal como se encontrava na data (1925) na publicação da obra de "ARTUR LAMAS" - "A CASA-NOBRE DE LÁZARO LEITÃO" no sítio da JUNQUEIRA (extra-muros da antiga LISBOA), ano 1925 -1.ª Edição.  A pedra de ARMAS e o BUSTO que ainda lá se encontram na mesma posição. É natural que a disposição original das peças não posse esta, estando possivelmente a PEDRA DE ARMAS na parede sobre o TÚMULO, e o BUSTO em situação frontal.

No exterior num recanto em oposição ao RECOLHIMENTO, existia "um delicioso pórtico Quinhentista" cujo remate de "VERGA" ( 1 ), BLASONA"( 2 ) de uma espada (de SÃO TIAGO) entre "VIEIRAS"( 3 ), este portal dava ligação às HORTAS das COMENDADEIRAS (que poderá ser visto em foto aqui publicada neste blog - de Fernando Martinez Pozal tirada em 1959 pertencendo à CML - porque já não existe no local; o PÓRTICO, de volta abatida, historiado e florido, está desfalcado de pedras no conjunto, e mutilado nalguns pontos a merecer um restauro.  Este local da antiga horta foram terrenos do ESTADO após 1834, hoje modificado e estava destinado a passar por ali não a «AVENIDA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE» mas uma imaginada "AVENIDA DE JACINTO NUNES" que iria ligar a "RUA MORAIS SOARES" à "CALÇADA DA CRUZ DA PEDRA".  A CML terá adquirido cinquenta e nove mil metros quadrados por 294 contos e tal, da antiga "CERCA DAS COMENDADEIRAS" para a abertura da AVENIDA.

- ( 1 ) -VERGA - Parte superior de um vão de janela ou porta. 
- ( 2 ) -BLASONAR - Pintar ou esculpir escudo de ARMAS ou BRASÃO em; mostrar com alarde, ostentar.
- ( 3 ) -VIEIRAS -(HERÁLDICA) Nome heráldico da concha; as vieiras são reminiscências das Cruzadas e das peregrinações à Terra Santa.(Na maioria dos Brasões peninsulares em que se encontram, são comemorativas da batalha). Representam-se ordinariamente com a parte convexa para fora e com a charneira para cima: pontas que estão a um e outro lado na parte superior.

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO[ VI ]-DOAÇÕES E TESTAMENTO».

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ IV ]

«A IGREJA DE Nª. SENHORA DO ANJOS»
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (Foto possivelmente do quarto quartel do século XX)  -  (Fachada principal do "RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO", no século XX)   in    SIPA
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (1968) Foto de Augusto de Jesus Fernandes  -  ("Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão" notando-se a platibanda do edifício que nos fica ao fundo)  in   AML 
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (2010) Foto de autor não identificado  -  (Entrada para a "TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO" ao nossos lado esquerdo, com esquina para a "RUA DE SANTA APOLÓNIA", o "PALÁCIO PANCAS-PALHA")  in   C.M.L.
 Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (2016)  -  (Um troço da "TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO" já com alguns edifícios reabilitados)  in   GOOGLE EARTH
Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão - (2016)  -  (No lado esquerdo ao fundo o novo "CENTRO DE REABILITAÇÃO Nª. SENHORA DOS ANJOS")   in    GOOGLE EARTH

(CONTINUAÇÃO) - TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ IV ]

«A IGREJA DE NOSSA SENHORA DOS ANJOS»

A "IGREJA DE Nª. SENHORA DOS ANJOS" tinha pertencido inicialmente às "COMENDADEIRAS" que, quando dali saíram a deixaram para os "FRADES BARBADINHOS ITALIANOS" ou "CAPUCHOS".  A "IGREJA" teve cinco capelas, ornadas, com um belíssimo retábulo (encomendado em ROMA, pelo "PRINCIPAL D. LÁZARO LEITÃO ARANHA"), que embelezava o ALTAR-MOR e duas capelas laterais, as quais desapareceram ou apodreceram com a idade... Ficando a IGREJA a ser utilizada como capela para os utentes deste estabelecimento.

Do ponto de vista arquitectónico, o mais interessante que hoje nos é dado observar resulta da reedificação do edifício do antigo RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO. Trata-se da Capela elevada com o seu túmulo e busto e da escadaria exterior em lanços duplos, que dá acesso a essa mesma capela, adornada mais tarde com azulejos a imitar o gradeamento que insinuam um curioso sentido cenográfico. O gosto evidente é o do chamada "BARROCO JOANINO", surgindo na documentação e pagamento a "CUSTÓDIO VIEIRA", um dos mais importantes Engenheiros Militares então em actividade. A atribuição desta adaptação do edifício ao referido arquitecto-engenheiro, poderá reforçar a leitura de uma intervenção no panorama artístico desse período, iniciada já por "LEONOR FERRÃO" no seu estudo sobre o contemporâneo PALÁCIO-CONVENTO DAS NECESSIDADES.
"LÁZARO LEITÃO", figura de grande relevo nas transformações políticas do reinado de "DOM JOÃO V", e um dos grandes construtores deste período, parece ter utilizado a sua capacidade mecenática com alguns dos mais importantes arquitectos da época.
Diz-se que "LÁZARO LEITÃO" terá fundado o seu "RECOLHIMENTO" e vinculo, dando corpo a uma velha tradição lisboeta de fundações privadas com fins Sociais.

No seu "PALÁCIO DA RUA DA JUNQUEIRA, 194 a 198" mandado construir em 1734, "CASA NOBRE DE LÁZARO LEITÃO ARANHA", depois "UNIVERSIDADE LUSÍADA"  (Ver mais aqui...) é o nome de "CARLOS MARDEL" que surge na documentação. Aqui no "RECOLHIMENTO" encontramos o nome de "CUSTÓDIO VIEIRA", outro protagonista de relevo desse período lisboeta.
Quanto ao interior e dadas as profundas alterações realizadas posteriormente e o carácter de adaptação de um edifício anterior, há somente a registar algum mobiliário antigo e os retratos em tela que neste blogue reproduzimos, interessante conjunto de pinturas "palacianas" desse período. Fica assim, sobretudo, a pequena capela bastante maltratada, exemplar muito interessante de panteão com o túmulo em lugar central, como se o objectivo último fosse o louvor perpétuo ao próprio fundador.

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«TRAVESSA LÁZARO LEITÃO [ V ] O TÚMULO DE LÁZARO LEITÃO E ARCO DA TRAVESSA PARA AS HORTAS». 

sábado, 7 de outubro de 2017

TRAVESSA DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO [ III ]

«O RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO, ANALISADO NA SUA ARQUITECTURA»
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (1998) - Foto de António Sacchetti - (Fachada do Recolhimento de Lázaro Leitão, com a sua bem lançada escadaria exterior de belo efeito)   in   CAMINHO DO ORIENTE
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (1998) - Foto de António Sacchetti  -  ("Pedra de Armas" de "LÁZARO LEITÃO" existente sob o Túmulo. Leitura Heráldica: partido, de LEITÃO - de Prata três faixas de vermelho - e de ARANHA - Azul, chaveirão de vermelho, perfilado de prata, acompanhado de 3 flores de lis de ouro e carregado ao alto de um escudete de vermelho com a banda de 3 aranhas negras)  in  CAMINHO DO ORIENTE
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (1967-03) Foto de Augusto de Jesus Fernandes  -  (A "TRAVESSA DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO", no lado esquerdo, um pouco mais para a frente podemos ver o antigo "RECOLHIMENTO DE NOSSA SENHORA DOS ANJOS")  (ABRE EM TAMANHO GRANDE)   in   AML
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (1964-03) foto de Arnaldo Madureira  -  A "Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão" nesta década, ainda com prédios degradados)    in     AML
Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (entre 1890-1945) Foto de José Artur Leitão Bárcia  - ( Na "TRAV. DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO" o actual "CENTRO DE REABILITAÇÃO NOSSA SENHORA DOS ANJOS") (ABRE EM TAMANHO GRANDE)   in   AML

(CONTINUAÇÃO) - TRAV. DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO [ III ]

«O RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO, ANALISADO NA TIPOLOGIA ARQUITECTÓNICA»

«RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO» no número 19 da TRAVESSA com o mesmo nome, é constituído de planta em "L", o edifício apresenta volumetria composta por "paralelipípedos" rectangulares, sendo a cobertura efectuada por telhado de 2 e 3 águas articulados nos ângulos. O alçado principal, a NE, no braço maior, desenvolve-se em 2 planos e em 3 pisos animados pela abertura de janelas de peito de "emolduramento" simples de cantaria, sendo superiormente rematado por beirado simples.
No edifício se destaca a escadaria (de dois lanços rectos divergentes, com patamares intermédios dos quais partem outros dois lanços convergentes diante da porta principal), caracterizada pela réplica da sua guarda exterior em ferro forjado pontuado por "plintos" de cantaria, em "lambril" de azulejo no muro.
A porta principal, ladeada por duas portas de menor dimensão ( de verga abatida e "emolduramento" recortado), apresenta sobre a sua verga "contracurvada", rematada por "ática", uma PEDRA DE ARMAS sobrepujada de chapéu episcopal rematando em elipse com cordão de seis nós de cada lado, e integrada numa cartela de "concheados". A leitura Heráldica é a seguinte: partido, de LEITÃO (de Prata três faixas de vermelho) e de ARANHA (de Azul, "chaveirão de vermelho", perfilado de Prata, acompanhado de 3 flores de LIS de Ouro e carregado ao alto de um escudete vermelho com uma banda de Prata coberto de três aranhas negras.

A ÉPOCA DA CONSTRUÇÃO REMOTA AO SÉCULO XVIII.
CRONOLOGIA - Ano de  1747  representa a fundação de um RECOLHIMENTO, por acção do cónego da SÉ PATRIARCAL DE LISBOA D. LÁZARO LEITÃO ARANHA, com a invocação de NOSSA SENHORA DOS ANJOS e destinado a albergar viúvas pobres ainda que preferencialmente de ascendência nobre; a 03 de JULHO dão entrada nas instalações as primeiras viúvas e recolhidas. A 22 de Julho de 1758 nas "MEMÓRIAS PAROQUIAIS", assinadas pelo pároco LUÍS DA CUNHA DE BARBUDA, é referido que o Recolhimento tem uma pequena IGREJA com 3 altares; Em 1767 processo do enterramento de LÁZARO LEITÃO, num túmulo executado anteriormente, cujo busto era separado, tendo sido colocado no conjunto por ordem testamentária; Em 1928  o edifício encontrava-se em muito mau estado de conservação.
INTERVENÇÕES REALIZADAS - A DIRECÇÃO GERAL DE EDIFÍCIOS E MONUMENTOS NACIONAIS-DGEMN no ano de 2001 no RECOLHIMENTO, procedeu a beneficiações das instalações sanitárias, remodelação da instalação eléctrica do 6.º piso; 2000/2003 - OBRAS para a instalação do CENTRO DIA e beneficiação dos quartos dos utentes; 2003/2004 - beneficiação do 5.º piso, com recuperação do pavimento e pinturas nas paredes e portas, e ainda na zona da entrada e portaria; 2004 - Projecto de beneficiação das zonas circundantes.
O RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO, encontra-se incluído na "Zona especial de protecção da IGREJA PAROQUIAL DE SANTA ENGRÁCIA, PALÁCIO-PALHA-PANCAS e pela ESTAÇÃO ELEVATÓRIA DOS BARBADINHOS-MUSEU DA ÁGUA". [Fonte: D. Teresa Vale e Carlos Gomes -1995-SIPA].

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«TRAV. DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO[ IV ]-A IGREJA DE NOSSA SENHORA DOS ANJOS»

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

5 DE OUTUBRO DE 1910

«O 5 DE OUTUBRO DE 1910»

                                     «VIVA A REPÚBLICA  E  A  DEMOCRACIA»
 5 de Outubro de 1910 - Data comemorativa  do 107.º ANIVERSÁRIO da IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA em PORTUGAL )   in   SLIDE PLAYER
5 de Outubro de 1910 -  (A Bandeira de Portugal com a explicação da sua simbologia - Outros elementos da «BANDEIRA» e seu significado simbólico: O VERDE - A Esperança; O VERMELHO - A coragem e o sangue dos portugueses tombados em combate; A ESFERA ARMILAR - O Mundo descoberto pelos Navegadores portugueses nos século XV e XVI e os povos com quem permutaram ideias e comércio; OS 7 CASTELOS - As localidades fortificadas, conquistadas aos Mouros por Dom Afonso Henriques;  AS 5 QUINAS - Os 5 réis Mouros vencidos na Batalha de Ourique por Dom Afonso Henriques; OS 5 PONTOS BRANCOS INSERIDOS EM CADA QUINA - As 5 Chagas de CRISTO.)   in   PINTEREST


Com a IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA, PORTUGAL sofreu várias transformações tais com: NOVA BANDEIRA, NOVO HINO NACIONAL e NOVA MOEDA. Desde 1910 a BANDEIRA e o HINO foram mantidos até hoje, com a nossa entrada na UNIÃO EUROPEIA e no SISTEMA MONETÁRIO EUROPEU-SME, deixámos o "ESCUDO" e passámos a usar o "EURO".


(PRÓXIMO)«TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO[ III ] O RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO ANALISADO NA SUA TIPOLOGIA  ARQUITECTÓNICA».

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

TRAVESSA DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO [ II ]

«DA CASA DOS BARBADINHOS E COMENDADEIRAS, À COMPRA DO RECOLHIMENTO»
 Trav. do Recolhimento Lázaro Leitão - (1856-1858) - Filipe Folque  -  Planta Nº. 30 do ATLAS DA CARTA TOPOGRÁFICA DE LISBOA, onde podemos ter uma ideia da aproximação das duas "casas" e o espaço entre elas que mais tarde passaria a "AVENIDA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE"  in  ATLAS DA CARTA TOPOGRÁFICA DE LISBOA
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão -   (entre 1900-1958) - Foto de Eduardo Portugal  -  ("Travessa do Recolhimento Lázaro Leitão" o edifício do "Recolhimento Nossa Senhora dos Anjos") (ABRE EM TAMANHO GRANDE)   in    AML  
 Trav. do Recolhimento Lázaro Leitão - (c. 1740?) -Óleo sobre tela atribuído a Francisco Vieira Lusitano-Escola Portuguesa)  -  ( O retrato do Principal "LÁZARO LEITÃO ARANHA", em pose austera, sentado num grande cadeirão, estrutura tradicional do retrato Barroco de aparato. Com um magnifico traje em seda e rendas, as joias - Cruz de Cristo e Anel de Rubi - revelam a condição de Principal da Patriarcal, cargo que recebeu em 1740. Este quadro foi encomendado para a inauguração do Recolhimento em 1747)   in  CAMINHO DO ORIENTE
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (c. 1740 ?)  Óleo sobre tela de autor desconhecido - (Retrato de "D. JOÃO V" encomendado por "Lázaro Leitão Aranha" a uma oficina desconhecida)  in  CAMINHO DO ORIENTE
Trav. do Recolhimento Lázaro Leitão - (c. 1760) Pintura a óleo de autor não identificado  -  (Retrato de "DONA JOANA INÁCIA DE MACEDO E SILVA", sobrinha e herdeira de "LÁZARO LEITÃO", chegou a ser padroeira do Recolhimento) (Retrato restaurado em 1962 no I. J. F.)  in  CAMINHO DO ORIENTE


(CONTINUAÇÃO) - TRAV. DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO [ II ]

«DA CASA DOS BARBADINHOS E COMENDADEIRAS, À COMPRA DO RECOLHIMENTO»

Onde se encontravam os "FRADES CAPUCHOS" ou "BARBADINHOS"(Ver mais aqui...) essas casas pertenciam às "COMENDADEIRAS DE SANTOS-O-NOVO"(Ver mais aqui..). E para que os frades pudessem dispor à vontade destas instalações, "DOM JOÃO V" comprou esta "CASA" às "COMENDADEIRAS". Mais tarde, ou seja 53 anos depois, em 06.07.1742 quando os frades Capuchos deixaram de precisar do edifício - dispunham, agora de um vasto CONVENTO bem perto nas traseiras do RECOLHIMENTO -  O Rei "DOM JOÃO V" vendeu por 11.000 cruzados a "Casa e os terrenos a um famoso cónego de nome LÁZARO LEITÃO ARANHA",  possuidor de grande fortuna, que aqui instituiu, depois de feitas as necessárias obras e lhe ser concedido o alvará a 19.06.1747, que lhe permitia erguer um recolhimento para viúvas nobres, pobres e honestas, e meninas nobres sem recursos financeiros 
A compra constava do EDIFÍCIO DA IGREJA, CONVENTO e todas as OFICINAS, HORTAS e JARDIM, que tinham pertencido aos RELIGIOSOS BARBADINHOS ITALIANOS, e algumas propriedades de CASAS JUNTAS ao mesmo Recolhimento no qual entraram as primeiras viúvas e recolhidas no dia 3 de Julho de 1747.
O Recolhimento mantendo a invocação de NOSSA SENHORA DOS ANJOS, era destinado a viúvas nobres (como atrás nos referimos), sob a protecção régia de D. JOÃO V, vivendo em regime de clausura, independentemente de terem ou não professado os "VOTOS".
O edifício passou a dispor de IGREJA, SACRISTIA, CORO, COMUNGATÓRIO, QUARENTA E DUAS CELAS e restantes dependências utilitárias. Na sua inauguração, foi celebrada uma missa cantada à qual assistiu a RAINHA DONA MARIA ANA DE ÁUSTRIA, (então regente, que tomou a instituição sob sua protecção). Diz-nos: "FREI CLÁUDIO DA CONCEIÇÃO" que todos prometeram observar, e beijando a mão à RAINHA subiram para o coro, as dez viúvas e sete educandas porcionistas de onde assistiram à missa cantada e sermão que pregou "FREI LUÍS DA GAMA", prior do REAL MOSTEIRO da "PENHA LONGA". 
O sustento desta instituição dependia, entre outras rendas, da doação de dois mil cruzados anuais doados pelo instituidor.
Neste "RECOLHIMENTO DE NOSSA SENHORA DOS ANJOS" podemos observar ao passar a porta e na entrada do átrio, a antiga portaria, existindo na parede do lado esquerdo o lugar da "RODA" (não a "RODA" dos expostos ou "RODA DOS ENJEITADOS") mas o único ponto de comunicação com o exterior, para abastecimento da casa ou saída e entrada de correspondência.
Na sala ligada à portaria estão colocados os retratos a óleo de "D. LÁZARO LEITÃO ARANHA", duas sobrinhas do fundador ( as quais muito demandaram com a justiça após a morte de seu tio) e, ainda, um retrato do REI DOM JOÃO V. Um dos retratos de "D. JOANA INÁCIA DE MACEDO E SILVA", sobrinha e herdeira de "LÁZARO LEITÃO". Esta senhora foi padroeira do RECOLHIMENTO. Na antiga CAPELA-MOR, se guarda ainda, o TÚMULO do Fundador da Instituição de que nos debruçaremos noutro capitulo. 

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«TRAVESSA LÁZARO LEITÃO[ III ]O RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO, ANALISADO NA TIPOLOGIA ARQUITECTÓNICA».  

sábado, 30 de setembro de 2017

TRAVESSA DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO [ I ]

«O RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO E SEU ENQUADRAMENTO»
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (1925) - Desenho de João Marques  -  Fachada do Recolhimento de Lázaro Leitão, segundo desenho de João Marques, inserto na obra de Artur Lamas: A CASA NOBRE DE LÁZARO LEITÃO)  in   CAMINHO DO ORIENTE I
 Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (Post. 1780) - Pormenor da Planta Topográfica da cidade de LISBOA, posterior a 1780, reconhecendo-se a a estrutura viária primitiva da "CALÇADA DA CRUZ DA PEDRA". Em primeiro plano o traçado da "TRAV. DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO" as hortas que separavam o "CONVENTO DE SANTOS-O-NOVO")    in   CAMINHO DO ORIENTE I
 Trav. Do Recolhimento de Lázaro Leitão - (2016)  -  (PANORÂMICA DO SÍTIO DA "TRAV. DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO", a "AVENIDA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE" e o "CONVENTO DE SANTOS - O - NOVO")    in   GOOGLE EARTH
 Trav. do Recolhimento  de Lázaro Leitão - (2016)  -  (Panorâmica mais aproximada do RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO, na freguesia de SÃO VICENTE, com entrada pela "RUA DE SANTA APOLÓNIA"  in   GOOGLE EARTH
Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão - (1966-08) Foto de João Hermes Cordeiro Goulart  -  (Prédio da Trav. do Recolhimento de Lázaro Leitão, alguns muito degradados. Ao fundo à esquerda o "RECOLHIMENTO" e o chafariz)   in   AML 

(CONTINUAÇÃO)  - TRAVESSA DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO [ I ]

«O RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO E SEU ENQUADRAMENTO»

A «TRAVESSA DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO" pertencia à antiga freguesia de "SANTA ENGRÁCIA", hoje pela "REFORMA ADMINISTRATIVA DE LISBOA DE 2012", pertence à freguesia de «SÃO VICENTE». Começa na "RUA DE SANTA APOLÓNIA" no número doze e não têm saída para carros.
Após presença da Instituição logo marcou a toponímia do local, passando de "PÁTIO DOS BARBADINHOS" a "RECOLHIMENTO" ou do "RECOLHIMENTO DOS ANJOS". Mais tarde foi chamada de "RUA" e depois de "TRAVESSA DE LÁZARO LEITÃO" ficando actualmente com a designação de "TRAVESSA DO RECOLHIMENTO DE LÁZARO LEITÃO", em memória do seu fundador.
«LÁZARO LEITÃO ARANHA», filho de MANUEL LEITÃO ARANHA e de BRÁSIA DUARTE, nasceu em LISBOA na (freguesia da MADALENA hoje SANTA MARIA MAIOR) em 15.12.1678 e faleceu em LISBOA na freguesia das "MERCÊS", hoje freguesia da "MISERICÓRDIA" em 02.08.1767 tendo sido sepultado no "RECOLHIMENTO DE NOSSA SENHORA DOS ANJOS", que ele fundara.
Frequentou a UNIVERSIDADE DE COIMBRA e Doutorou-se em DIREITO CIVIL. Foi deputado do SANTO OFÍCIO, recebeu o hábito de CRISTO, foi desembargador da CASA DA SUPLICAÇÃO e DEPUTADO DA MESA DE CONSCIÊNCIA E ORDENS.
Foi principal primário da IGREJA PAROQUIAL, entre 1712 e 1718 integrou, como secretário da Embaixada enviada por D. JOÃO V ao PAPA CLEMENTE XI em 1712, que foi a ROMA requerer a divisão da cidade e a criação do PATRIARCADO.
Diz-nos "ARTUR LAMAS": "Considera provável que, ao regressar a LISBOA, tenha ido habitar na RUA CORDOARIA VELHA, onde que se saiba, morava em 6 de Novembro de 1719 e continuou a morar até que comprou o PALÁCIO à CRUZ DE PAU, (...) o que ocorreu em 1726".
Este PALÁCIO, situado diríamos hoje, no "LARGO DO CALHARIZ", é o mesmo em que faleceu, que foi posteriormente conhecido por "PALÁCIO SOBRAL" (ver mais aqui...) ( 1 ) e onde, remodelado, veio a instalar-se a "CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS".
Terá vivido ainda em casas de "ANTÓNIO VAZ COIMBRA", a SÃO SEBASTIÃO DA PEDREIRA. Teve uma magnifica casa de recreio na "RUA DA JUNQUEIRA", "CASA NOBRE DE LÁZARO LEITÃO" mandada edificar no ano de 1734 pelo Engº CARLOS MARDEL (ver mais aqui...), onde hoje podemos encontrar instalada a "UNIVERSIDADE LUSÍADA".
Nesta local do RECOLHIMENTO que em tempos se chamou de "SANTA MARIA DO PARAÍSO" é que assentou, depois da transferência de SANTOS ao poente de LISBOA, a primitiva "CASA DAS COMENDADEIRAS DE SÃO TIAGO", ditas de SANTOS-O-NOVO, casa que D. JOÃO II lhes determinara e que se construiu, embora pequenas por sinal, para tão Nobres hóspedes. Em 22 de Julho de 1689 entraram para elas os "BARBADINHOS ITALIANOS" sendo Procurador e Fundador deste hospício o  "PADRE PAULO DE VARACE", pregador e missionário que tinha sido em ANGOLA.
A casa era do início do século XV e foi comprada depois às COMENDADEIRAS por D. JOÃO V para que os frades se sentissem em "sua casa" passando as religiosas de S. TIAGO para o seu grande e novo Convento contíguo, além da Horta, actual "CONVENTO DE SANTOS-O-NOVO". 

- ( 1 ) -  PALÁCIO SOBRAL - Mandado construir entre 1770 e 1780 por JOAQUIM IGNÁCIO DA CRUZ SOBRAL, 1º Administrador do vinculo dos SOBRAIS, nasceu da compra de um velho prédio, propriedade de "D. LÁZARO LEITÃO ARANHA" rico e erudito "PRINCIPAL DA SÉ", que neste lugar fez reunir a famosa "ARCADA" em (1764).

(CONTINUA)-(PRÓXIMA)«TRAVESSA DO RECOLHIMENTO LÁZARO LEITÃO[ II ]-DA CASA DOS BARBADINHOS E COMENDADEIRAS, À COMPRA DO RECOLHIMENTO»